Propostas da Câmara Jovem geram muitos debates na 1ª Sessão Ordinária

A Câmara Jovem de Paulínia se reuniu nesta quarta-feira (31/8) na 1ª Sessão Ordinária de 2022, para votar 34 propostas. O público acompanhou debates acalorados, com vereadores jovens participativos e sem receio de expor suas ideias.

Um dos temas mais polêmicos foi Requerimento da vereadora Ana Clara Garcia cobrando aplicação de uma lei municipal sobre segurança nas escolas. A norma está em vigor desde 2019 e prevê instalação de detectores de metais nas entradas das instituições.

O Plenário se dividiu entre apoiadores e críticos da iniciativa. Coube ao presidente da Câmara Jovem, Lucas de Oliveira Barros, desempatar a votação e aprovar a proposta. Os adolescentes também discutiram a criação de uma praça cercada para paulinenses passearem com animais de estimação, sugerida por Kevin Marinho Lellis.

A pauta incluiu ainda as áreas de saúde, esporte, meio ambiente e capacitação profissional, entre outros temas. Na Tribuna Livre, a suplente Daniela Liz destacou a importância da presença de psicólogos e assistentes sociais nas escolas.

Antes da sessão, eles compartilharam experiências com o presidente do Legislativo, Fabio Valadão. Acompanharam o debate vereadores, assessores, pais, alunos (7º ano da EMEFM Vitor Szczepanski e Souza Silva) e professores, entre eles Airton Tararan, representando a Diretoria de Ensino (região de Sumaré).

ESCOLAS PARCEIRAS

Participam da Câmara Jovem: EMEFM Maestro Marcelino Pietrobom; EMEFM Vitor Szczepanski e Souza Silva; EE Doutor Francisco de Araújo Mascarenhas; EE Padre José Narciso Vieira Ehrenberg; EE Núcleo Habitacional José Paulino Nogueira; EE Professora Adélia Cristina Borgato Gryszczenko; e EMEF Professor Domingos De Araújo.

Também fazem parte os colégios Adventista de Paulínia; COC Paulínia; Metropolitan Paulinense e Pitágoras.

O projeto teve início em 2017 e foi idealizado pelo vereador Valadão, com o objetivo de formar cidadãos mais conscientes sobre o papel do Legislativo no município e no país. Segundo ele, trata-se de um projeto de cidadania, sem vínculo partidário com os vereadores da Casa.

 
 


Texto: Felipe Luchete.

Compartilhar essa postagem


Pular para o conteúdo