Senhas em comércios e órgãos públicos precisam ter avisos sonoros

Uma nova lei municipal determina que, quando um estabelecimento usar sistema de senhas para atender ao público, deve disponibilizar avisos sonoros para pessoas com deficiência visual.

A regra vale para locais públicos e privados, inclusive bancos e cartórios, conforme proposta aprovada pela Câmara e agora sancionada pelo prefeito. O vereador Dr. Grilo (MDB), autor da lei, ressalta que a medida deve evitar que a pessoa perca o momento de ser atendida, pela impossibilidade de visualizar o número chamado no painel.

Ele também propõe atendimento psicossocial na rede de ensino, assim como a capacitação das escolas conveniadas para o desenvolvimento de atividades socioemocionais. A atenção adequada pode contribuir com melhorias nos níveis de aprendizagem, diz.

O vereador ainda solicita centro de referência do autismo em Paulínia e sugere centro poliesportivo no Residencial Pazetti. Além disso, pede rampas de acessibilidade nos novos pontos de ônibus.


A proposta está em sintonia com o ODS 10 – Redução das Desigualdades. ODS são Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, uma agenda mundial que estabelece ações em áreas importantes como erradicação da pobreza, saúde, educação, igualdade de gênero e redução das desigualdades.


Imagem: Câmara Municipal de Valinhos.

Texto: Lara Santana (Estagiária).

Compartilhar essa postagem


Pular para o conteúdo