Vereador quer site informativo sobre a Dengue

Doutor João Mota acredita que a prevenção é a melhor forma de evitar a proliferação do mosquito transmissor.

Na 4º sessão do ano da Câmara de Paulínia realizada na terça-feira dia 17, o vereador Doutor João Mota preocupado com os casos de dengue registrados na região, mas, principalmente em Paulínia, apresentou indicação sugerindo ao Executivo que seja disponibilizado aos munícipes um site informativo sobre a doença. A ideia é que a página contenha todas as informações sobre a doença, como sintomas, tratamentos, formas de transmissão e orientações sobre a prevenção; com o objetivo de evitar uma epidemia de dengue em Paulínia.
O vereador explicou que  só essa medida não basta e que outras devem ser realizadas pelo poder público para combater o mosquito transmissor aedes aegyti (dengue). “A população precisa ter informações, para estar mais prevenida e para que evitarmos o alastramento da doença”, afirmou Mota. Na mesma sessão, o vereador Gustavo Yatecola, que é médico , disse, ter, sem seu plantão, do dia anterior,  atendido vários casos de dengue.
Entre janeiro e fevereiro deste ano, o Ministério da Saúde registrou um aumento de 139% dos casos notificados de dengue, comparado ao mesmo período do ano passado. Foram 174.676 notificações em janeiro e fevereiro de 2015, contra os 73.135 de 2014. Em Paulínia este ano,  já foram registrados 224 casos confirmados de moradores da cidade e 84 casos de pessoas de outras cidades que buscaram atendimento em Paulínia.
A dengue é uma doença grave e que pode matar. Todos os  anos milhares de brasileiros contraem a doença.  Alguns sintomas são: febre alta, dor de cabeça, manchas vermelhas pelo corpo e dor atrás dos olhos. A dengue pode ser transmitida por duas espécies de mosquitos (Aëdes aegypti e Aëdes albopictus), que picam durante o dia e a noite, ao contrário do mosquito comum, que pica durante a noite. Os transmissores de dengue, principalmente o aëdes aegypti, proliferam-se dentro ou nas proximidades de habitações (casas, apartamentos, hotéis), em recipientes onde se acumula água limpa (vasos de plantas, pneus velhos, cisternas etc.).
A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Compartilhar essa postagem


Pular para o conteúdo