Marquinho Fiorella pede árvores frutíferas no entorno do Parque da Amizade

O vereador Marquinho Fiorella (PSB), indicou ao prefeito Antonio Miguel Ferrari, o Loira, a elaboração de um projeto para reflorestamento com árvores frutíferas para consumo humano e de pássaros, em toda extensão da mata do Parque da Amizade, na região dos bairros Morro Alto, Alto de Pinheiros, Jardim Leonor e Jardim Amélia.

Segundo o vereador a intenção é aumentar o número de árvores plantadas no entorno do parque. “É um parque novo, e tenho recebido inúmeras solicitações de moradores que querem o plantio de árvores defronte sua residência, com a finalidade de proteção do meio ambiente, onde pode unir o útil ao agradável e montar uma Força Tarefa, da Prefeitura para a realização de plantio em massa”, destacou o vereador.

Vereador Danilo Barros (PSB)

Marquinho lembrou, ainda, que os projetos de arborização urbana é de vital importância, principalmente nos grandes centros urbanos e a Prefeitura possui o Viveiro de Mudas, de onde as mesmas poderão ser fornecidas para o plantios no bairros que hoje são carentes de árvores frutíferas que servem tanto para a sombra como para a preservação do meio ambiente do local.

“Com uma maior área verde na cidade, a temperatura é mais baixa, ajudando a reduzir em até 10% o consumo de energia por meio do efeito de moderação climática local. O plantio de árvores visando a renovação do ar devido ao alto índice de poluição de nosso município, bem como proporcionar alimentação aos pássaros, concentrando as espécies em locais apropriados”, defende Marquinho.

A indicação do vereador foi aprovada por unanimidade pelos demais membros do legislativo de deverá ser encaminhada para o Executivo para que o prefeito tome conhecimento da Indicação (nº 559/2019) do vereador e tome caso analise ser necessário às devidas providências para colocar a proposta do palarmentar em prática.

Parque da Amizade – Em 2011, o Parque marcou um avanço no conceito de áreas verdes de lazer no Brasil.  Ele possui área de 300 mil m², formada por fragmentos remanescentes da Mata Atlântica, dentro de uma Área de Preservação Permanente (APP). São cerca de dez nascentes e cinco quilômetros de córregos.

Ademir Inácio (MTB nº 28.228/SP)
Assessoria de Imprensa
imprensa@camarapaulinia.sp.gov.br
Imagens: Câmara de Paulínia

Compartilhar essa postagem


Pular para o conteúdo