sessao 17 - 2

Vereador do Pros critica falta de valorização dos profissionais, enquanto Executivo planeja obra que fere o interesse público

sessao 17 - 2O Dia dos Professores, comemorado em 15 de outubro, deu o tom das primeiras considerações do vereador Fábio Valadão (Pros) durante sessão ordinária da Câmara de Paulínia desta terça-feira (14). Durante a semana criticou a falta de pagamento das bolsas de estudo para ensino superior e técnico, o que vem repercutindo nas redes sociais. Também criticou duramente a PPP (Parceria Público-Privado) firmada para a construção de um parque temático, apresentado há uma semana pela Prefeitura, em que devem ser gastos mais de R$ 830 milhões.

“Vivemos numa cidade de contradições e inversão de prioridades. Enquanto se gasta milhões com cinema e obras gigantescas, o professor não tem a devida valorização”, ressaltou Valadão, que começou suas considerações traçando um paralelo com o Japão e do exemplo oriental que fala que um professor é o único que não se abaixa em reverência ao imperador, porque eles entendem que sem professor, não existiria um imperador.

“Enquanto isso, aqui temos conselho destituído, professores que trabalham sem dignidade. O prefeito usa investimentos maciços para eventos cinematográficos, mas seria interessante algo que valorizasse esses profissionais, como um encontro regional, por exemplo”, sugeriu o vereador.

Inclusive uma sugestão de Projeto de Decreto de Lei foi para que a professora Irani Aparecida Reis Ferrari receba o título de Cidadã Paulinense. A postura ética e amor à profissão motivaram o vereador a apresentar a sugestão à Casa, que foi aprovada por unanimidade dos presentes. “A história pessoal e profissional são fantásticas e fez parte da vida de muita gente. Exemplo de dedicação”, defendeu o vereador.

PPP

A Parceria Público-Privado, apresentada pela Prefeitura na semana passada tem gerado polêmica na cidade, dividindo opiniões sobre o interesse público da obra orçada em mais de R$ 830 milhões para a construção de um parque temático no Parque Brasil 500. Contrário ao projeto, Valadão relembrou obras esdrúxulas propostas e construídas pelo ex-prefeito Edson Moura, pai do atual (ambos PMDB), como Parque da Monica, nos moldes da Disney, o sambódromo, pouco usado, o Rodoshopping, que atraiu lojistas crentes das propostas de crescimento do local e atualmente é administrado pela própria Prefeitura por incompetência da administradora então contratada, o projeto Manto de Cristal, que cobriria parte do centro da cidade e depois de muito dinheiro investido (estima-se em mais de R$ 118 milhões) nada foi feito e ainda prejudica e muito os comerciantes e população da área central.

“Tenho a sensação que os dois prefeitos estão brincando conosco. Sempre aparecem com projetos mirabolantes que nunca dão certo, e deixam de prover o básico que nossa população precisa. O volume de dinheiro jogado fora na nossa cidade dá inveja a grandes cidades do país e do mundo!” O vereador disse estar confiante que o projeto seja submetido à aprovação da Câmara, onde deverá ser contestado. Só durante audiência de apresentação do PPP, Valadão fez 15 perguntas, a maioria ainda sem resposta. “Caso não venha para a Câmara estou preparado para defender os interesses da cidade na justiça!”, promete.

Saúde

Como de praxe, a Saúde também foi alvo de observações do vereador, que não deixou passar em branco o fato de a Secretaria Municipal da Saúde, estar há quase dois meses sem secretário. E citou o concurso público aberto pela Prefeitura para oito médicos e cinco farmacêuticos como uma maneira de “tapar o sol com a peneira”.

Votou favorável ao PL 47/14, do Executivo, que trata de concessão de crédito vindo do Ministério da Saúde para a construção de duas UPAS (Unidade de Pronto Atendimento) no Cooperlotes e João Aranha, além de equipamentos para o Hospital Municipal de Paulínia.

Interesse do consumidor

Valadão apoiou o colega Dr. Gustavo Yatecola (PTdoB), autor de dois projetos de lei voltados às instituições bancárias. Um pede a fixação da isenção de taxas de serviços bancários essenciais em locais visíveis e o outro PL, a proibição de vendas casadas oferecidas por esses estabelecimentos. “Todos os dias vemos nos jornais notícias de lucros recordes dos bancos e o atendimento cada vez pior. Temos também que cobrar a fiscalização pela Prefeitura, pois de nada adianta termos leis que beneficiem o povo e o Prefeito não fazer a parte dele, que é fiscalizar e punir os infratores”.

Reconhecimento

Também elogiou a iniciativa de homenagear o grupo de pagode de Paulínia Nessa Onda, que gravou o primeiro cd. “Parabenizo aos músicos que se esforçam e correm atrás de seus sonhos, mesmo com o pouco caso do município, que entende por investimento em cultura, apenas investimento em cinema e em artistas de fora”. Frase semelhante usou há poucas semanas durante moção ao violeiro Rodrigo Nali, reconhecido nacionalmente pela qualidade de seu trabalho, que leva o nome de Paulínia para onde se apresenta, sem nenhum reconhecimento do governo municipal.    

Fonte: Assessoria de Imprensa do vereador Fábio Valadão 

Compartilhar essa postagem


Pular para o conteúdo